Blog do Sigi Vilares - 7 Anos


 
 

Notícias

09
Jul/18

Dr. Joaquim Rodrigues fala sobre a elucidação de mais um feminicídio em LEM

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas e texto

O delegado da Polícia Civil, Joaquim Rodrigues concedeu entrevista neste fim de semana para a reportagem do Sigi Vilares para falar sobre os casos de homicídios, tentativas de homicídios, tráfico de drogas, entre outros casos na cidade de Luís Eduardo Magalhães.

Na ocasião, o repórter do Blog do Sigi Vilares e âncora do programa Mundial Repórter, da Rádio Mundial FM 91.3, Weslei Santos, conversou com o delegado que revelou ter elucidado mais um crime em LEM, juntamente com sua equipe de investigadores.

Dessa vez foi elucidado o feminicídio contra Alessandra Santos Cerqueira e uma tentativa de homicídio contra Niclecia ocorrido no dia 14 de junho, no bairro Santa Cruz, por volta das 3h da madrugada. Na última sexta-feira (6), o autor do feminicídio identificado como Alan, o "Alanzinho" se apresentou no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep) e foi ouvido pelos policiais de plantão. Ele confessou ter matado Alessandra por que se sentiu ameaçado por causa de uma cobrança de dívida de drogas que devia para a vítima.

Alan fazia uso de entorpecentes com as duas mulheres na companhia de um menor que também estava na residência quando foi feita a cobrança. Devido às ameaças de morte também por um traficante, Alan, já andava armado com um revólver calibre 38 quando resolveu matar Alessandra com quem já teve um relacionamento e tirar a vida de Niclecia que foi socorrida com vida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) e encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h) e depois transferida para o Hospital do Oeste (HO) na cidade de Barreiras.

Ainda segundo o delegado, as vítimas já têm passagens pela polícia por tráfico de drogas em Barreira e mesmo estando trabalhando em LEM não haviam abandonado a prática ilícita. Alan será indiciado pelos crimes de feminicídio e tentativa de homicídio. Após chegar laudos e ouvir mais testemunhas ele vai concluir e enviar ao Ministério Público. Alan foi ouvido e liberado após a defesa do acusado garantir sua apresentação para confessar o crime com todos os detalhes onde não foi preciso pedido da prisão temporária.

Fonte: Reportagem de Weslei Santos/Blog do Sigi Vilares
()
  Curta nossa pagína
  Publicidades