Notícias

07
Jan/16

Bandidos armados voltaram a tocar terror no distrito de Caripar


Micro-ônibus assaltado


Marcas dos tiros



Bandidos armados voltaram a atacar micro-ônibus que faz linha entre Barreiras e o Distrito Cariparé, no município de Riachão das Neves.  Essa foi a segunda vez que esse mesmo micro-ônibus foi atacado em um intervalo de um mês no mesmo trecho. O Cariparé é um distrito que não conta com serviço bancário, aposentados e funcionários públicos se deslocam até a cidade de Barreiras no início do mês para receber seus benefícios, já que o banco de Riachão das Neves ainda não voltou a funcionar.

No assalto que ocorreu a cerca de um mês atrás os bandidos forçaram o motorista parar o veículo e obrigaram o mesmo a dirigir até um matagal, saquearam e humilharam todos os passageiros, levando dinheiro e objetos pessoais. Na tarde dessa quarta-feira, 06, ladrões voltaram a abordar o veículo atirando em direção do mesmo que no momento estava cheio de passageiros, ninguém se feriu, ficando as marcas de tiro na lataria do micro-ônibus. "Poderia ter morrido um inocente, como vamos continuar a viver aqui, esquecidos, entregues à própria sorte" disse uma passageira desesperada! No momento em que percebeu que seria mais uma vez assaltado o motorista acelerou o veículo e consegui se livrar dos assaltantes. Há vários anos anos os moradores contam que já perderam as contas dos inúmeros assaltos que aconteceram à motoristas e fornecedores de mercadorias até hoje ninguém foi preso.

A estrada de chão está sempre em péssimas condições e os criminosos aproveitam pontos estratégicos onde o veículo desenvolve menos velocidade para consumar os assaltos.

Os moradores diz saber que a violência está generalizada em todos os lugares, mais clamam por seguranças. "Entendemos que onde ocorrem crimes frequentemente, também existe policiamento, porém aqui no distrito de CARIPARÉ só se vê polícia quando acontece um fato grave e sem policiamento o distrito está servindo de reduto para marginais, pequenos furtos e assaltos já viraram rotina e a comunidade não aguenta mais falsas promessas" disse um morador amedrontado.

Fonte: Reportagem de Naldo Vilares e Cristiano Fdel/Blog do Sigi Vilares
()
  Curta nossa pagína
  Publicidades