Notícias

03
Jan/21

Prefeito Jnior Marab concede a primeira entrevista coletiva, confira os principais pontos



Durante a sua primeira coletiva de imprensa, realizada na manhã de ontem (02), na sede da secretaria de Assistência Social, o prefeito Júnior Marabá reafirmou o compromisso com a população de Luís Eduardo Magalhães. “Vamos tomar as medidas necessárias para que a mudança de fato aconteça, custe o que custar, vamos atender a população”, disse.

Júnior que já enfrentou dificuldades na transição, por causa da falta de transparência da gestão anterior, contou que encontrou a prefeitura sem o mínimo de estrutura física de trabalho. “Hoje do jeito que estamos recebendo a prefeitura, não há condição mínima de atendimento, prédios praticamente vazios com móveis sujos e abandonados”.

Visando assegurar o acesso das pessoas aos serviços públicos já na próxima semana, foi montado um esquema de mutirão, que funcionou durante o final de semana.

Cortes de gastos

Diante do endividamento de R$ 85 milhões da prefeitura, fruto dos empréstimos tomados pela gestão passada, e com o objetivo de equilibrar as contas do município, o número de secretarias foi reduzido. “Começamos com nove secretarias, é um corte de gastos necessário. Quando alcançarmos a estabilidade financeira, retornaremos com algumas dessas outras cinco pastas, se necessário”.

Saúde

Para o prefeito, a preocupação mais urgente no momento é a saúde da população. Desde o resultado das eleições em 15 de novembro, muitas pessoas não conseguiram atendimento na área. “Existe uma demanda reprimida de pessoas que precisam de cirurgia, exames, tratamento e isso foi negado. É o que mais assusta qualquer pessoa e estamos trabalhando para mudar essa realidade”.

Educação

Na Educação, outro desafio. De acordo com Júnior, para concluir o ano letivo de 2020, será necessária a criação de uma plataforma para aulas online. Apos isso, pautar como inicia o ano letivo de 2021 para os cerca de 20 mil alunos do município.

Relação com a Câmara

Após a reviravolta na eleição para presidência da Câmara, com a traição inesperada, Júnior falou que espera que os vereadores cumpram o seu papel constitucional.

"Acredito que a Câmara deva aprovar os projetos que beneficiam a população. Caso a Câmara venha recusá-los, esses projetos serão expostos e a população vai cobrar a Câmara".

"Filipe é o nosso braço direito e vai ajudar a governar Luís Eduardo Magalhães"

Após as repercussões do ocorrido na Câmara, muito se especulou sobre como ficaria a relação entre Júnior e Filipe. "Nossa aliança é uma aliança de amizade e nós temos uma confiança muito grande um no outro. Assim como eu fui pego de surpresa, Filipe também. Tanto é que ele soltou uma nota repudiando a atitude do Irmão Fernando Fernandes. Então eu digo, Filipe é o nosso braço direito e vai ajudar a governar Luís Eduardo Magalhães", destacou.

Fonte: ASCOM, prefeitura de LEM
()
  Curta nossa pagína
  Publicidades