Notícias

23
Mar/15

Paz e sossego, ser que vale para a cidade de LEM?

Caro Sigi, saudações!

Quero fazer uma denúncia em seu blog, a fim de chamar a atenção das autoridades públicas acerca de um fato desagradável que vem acontecendo constantemente na rua onde resido. Um morador da mesma localidade (Rua Porto Seguro, Quadra 8, Lote 15 – Santa Cruz), residente no Condomínio nº 1.279, vem perturbando a minha eutimia e de outras pessoas, ao ligar todos os finais de semana, às vezes também em dias úteis, o som do seu carro, mais potente que a fóbica criada por Dodô e Osmar – projeto limiar do trio elétrico –, a altos níveis de decibéis.

O impacto é tão tenaz a ponto de provocar tremores nas portas e janelas da minha casa. Não devo comentar o tipo de música apreciada, pois cada um tem uma melofilia peculiar; contudo, vale ressaltar que as letras em sua maioria, são inadequadas para menores de 18 anos.

É demais pedir civilidade a uma pessoa pobre, e pobre quero dizer, em sua ampla acepção, visto que sou paupérrima em cifras: pobreza de educação, penúria de cidadania, inópia de cultura consistente. Reafirmo – genuína e orgânica boçalidade.

Não creio que nesse contexto devo considerar o antigo provérbio: “os incomodados que se retirem”. NÃO TENHO QUE ME RETIRAR! A lei sim, deve ser ponderada, respeitada e acatada.



Meus direitos de conversar, ler, estudar, escrever, adormecer, descansar, meditar, concentrar, assistir foram mitigados, melhor, dissipados.

POLUIÇÃO SONORA É CRIME E TRAZ DANOS À SAÚDE PÚBLICA! - Sou conhecedora das medidas que devem ser adotadas para solucionar o impasse; porém, são todas falhas. Não adianta a Secretaria de Meio Ambiente no primeiro momento, tentar persuadir o cidadão que cometeu o ato delituoso a erradicar sua atitude ignóbil. Isso não tem efeito algum.

Reincidências ocorrem facilmente. Basta o fiscal se afastar alguns metros e a mixórdia ocasionada pelos ignaros volta a acontecer. Quando a polícia é acionada nem sempre se interessa pelo mote e quando resolve atender ao chamado, nada pode fazer, uma vez que ao chegar ao local, as raposas percebem a presença dos leões e reduzem o volume sonoro.

É PRECISO MAIS, AFINAL DE CONTAS A NOSSA “PÁTRIA NÃO É EDUCADORA” E NÃO VIVO EM UM MUNDO ONÍRICO IMAGINANDO QUE UM DIA SERÁ - Consoante mencionado anteriormente, é demais pedir bons modos a pessoas que possuem tal idiossincrasia. É necessária uma força-tarefa envolvendo as diversas autoridades na intenção de mudar essa realidade. Multar, reter o som, até prender o cidadão se preciso for, são ações que fariam esses indivíduos pensar um pouco mais no bem-estar da coletividade.

As autoridades tomarão atitudes contundentes? Enérgicas? Eficazes? Ou preferirão como dizem Caetano e Gil, ficar em suas salas de jantar ocupadas em nascer e morrer?

Att. Pessoa recalcitrante

Fonte: Blog do Sigi Vilares - mande o seu e-mail para: [email protected]
()
  Curta nossa pagína
  Publicidades