Notícias

14
Out/13

XXIII CONIRD transforma LEM da Irrigao e Drenagem


Anfitrião do evento, o prefeito Humberto Santa Cruz destacou a importância do Congresso para o desenvolvimento econômico da região oeste e para a capacitação dos agricultores

Nos próximos dias, até a sexta-feira, 18, Luís Eduardo Magalhães será a capital brasileira de irrigação e drenagem. Aberta na noite deste domingo, 13, a vigésima terceira edição do Congresso Nacional de Irrigação e Drenagem (XXIII CONIRD), reúne a nata do segmento no país. Anfitrião do evento, o prefeito Humberto Santa Cruz destacou a importância do congresso para toda região. “Com certeza, vamos todos tirar grande proveito de tudo que será discutido nos próximos dias”, avaliou, após saudar os participantes.

 O presidente da Associação Brasileira de Irrigação e Drenagem (ABID), Helvécio Mattana Saturnino comemorou o fato de o congresso ter um prefeito para tratar da importância dos negócios com base na agricultura irrigada para o desenvolvimento municipal, tema da conferência de abertura, a cargo do prefeito Humberto Santa Cruz. “Este é sem dúvida um grande desafio para todos nós: termos os municípios permanentemente engajados no que lhes for mais adequado na agricultura irrigada”, comentou Helvécio.

 “Seja para o fomento das pequenas hortas, nos seus parques e jardins, nas áreas para esportes, seja para prosperar negócios ao intensificar a produção animal e vegetal ao longo de todo o ano. Cada município tem o bom desafio de saber fomentar os negócios com base na agricultura irrigada”, continuou o presidente da ABID.


O presidente da ABID, Helvécio Saturnino comemorou o fato de o congresso ter um prefeito para tratar da importância dos negócios com base na agricultura irrigada para o desenvolvimento municipal

Da programação de oficinas e palestras, Helvécio fez questão de salientar o professor Derrel Martin, da Universidade de Nebraska. “Com a gestão integrada de recursos hídricos, superficiais e subterrâneos, esse estado americano, pouco maior que o estado de Pernambuco, tem uma irrigação mecanizada maior que a de todo o Brasil. É sempre um bom desafio estudar e entender os diferentes exemplos mundo afora”, observou. O professor Martin, participa na tarde desta segunda-feira, 14, do seminário “A gestão integrada de recursos hídricos para a agricultura irrigada: o exemplo do estado de Nebraska nos Estados Unidos”.

Em Nebraska, 90% da água de irrigação irrigada é de origem subterrânea. O professor Martin explica que para o desenvolvimento da atividade alguns estados norte-americanos recebem apenas água com esse tipo de origem. Para o professor os sistemas de irrigação por gotejamento são caros e apresentam problemas de manutenção. “Outros sistemas de irrigação estão voltados principalmente para a produção de grãos; existe pouco gotejamento, porque o produtor precisa de um sistema barato e flexível e não permanente como gotejamento”, explica.


O secretário de Agricultura da Bahia, Eduardo Salles, afirmou que a região oeste é a região com maior potencial de irrigação do país e abordou os diferentes aspectos que integram a sustentabilidade

 Intercâmbio técnico – Segundo o representante do Ministério da Integração Nacional, Almir Vieira Silva, a realização de um congresso como este na região oeste da Bahia é um divisor de águas, uma vez ele possibilitar o intercâmbio técnico entre seus participantes. “Precisamos dar incentivos a cultura científica e técnica em nosso país. A irrigação tem um mérito muito grande nesse sentido”, comentou, lembrando que país precisa, cada vez mais, investir na irrigação responsável e com sustentabilidade.

Desafio - Já o secretário de Meio Ambiente da Bahia, Eugênio Spengler, considera o uso de tecnologias mais modernas para um melhor aproveitamento da água um desafio. “Temos de pensar alternativas para usar a pesquisa na direção da modernização do processo de gestão da água”, disse, destacando a importância do aqüífero Urucuia, que incorpora, não só o estado da Bahia, mas estende-se por parte do Piauí, Maranhão, Tocantins, Goiás e Minas Gerais. De acordo com Spengler, é preciso, desde já, pensar os próximos 40, 50 anos. “Como desenvolver um sistema e mecanismo de gestão mais eficiente?”, questionou.

Potencial de investimento – O secretário de Agricultura da Bahia, Eduardo Salles, afirmou que a região oeste é a região com maior potencial de irrigação do país, com grande potencial de investimento e com as melhores condições para a produção de alimentos em escala capaz de suprir a demanda crescente do planeta. O desafio, segundo ele, é desenvolver esse potencial com sustentabilidade. “A região oeste da Bahia é reconhecida mundialmente pela alta produtividade de soja. Todo esse potencial é muito difícil de encontrar em outros lugares do mundo”, comentou.

Marcaram presença na abertura do XXIII CONIRD, o presidente da Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Julio Cézar Busato, o coordenador geral de Infraestrutura Rural e Logística da Produção da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo, Demetrios Christófilis, Luiz Noronha, representando o presidente da Agência Nacional das Águas (ANA), Vicente Andreu, o diretor do Departamento de Política de Irrigação, Almir Vieira Silva, a reitora da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOBA), Iracema Veloso, Luiz Henrique Bassoi, representando a Embrapa e o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Luís Eduardo Magalhães, Vanir Antônio Kolln.


Prefeito Humberto, a primeira-dama, Maira de Andrada, o presidente da ABID Helvécio Saturnino e Derrel Martin

O XXIII CONIRD segue durante toda esta semana até a próxima semana, com ampla programação de oficinas e seminários e nos dias 17 e 18, “Dia de Campo” na Fazenda Agronol.

Fonte:ASCOM, prefeitura de LEM
()
  Curta nossa pagína
  Publicidades