Notícias

12
Jul/18

Presidente do SINPROLEM fala sobre a paralisao dos professores em LEM


Presidente do SINPROLEM, Lurdes Hoff, em entrevista ao repórter Weslei Santos

Na noite desta quinta-feira,12, a reportagem do Blog do Sigi Vilares conversou com a presidente do sindicato dos professores de LEM (SINPROLEM), Lurdes Hoff, após a paralisação que ocorreu durante todo o dia com manifestos em frente a prefeitura, passeata pelas ruas da cidade até à secretaria de educação localizada na Rua José Cardoso de Lima, no centro.

A presidente informou que houve silêncio total por parte da administração pública e que após uma votação no final da tarde realizado em frente à prefeitura ficou deliberado que amanhã às aulas retornam normalmente, mas que a partir de terça-feira,17, dará início a uma greve por tempo indeterminado.

Além das 14 pautas que levaram à paralisação de hoje, a categoria incluiu ainda melhorias nas condições de trabalho e a exoneração imediata do secretário de educação, Leandro dos Santos e da gerente de RH, Jussara Faedo.


Os esclarecimentos do secretário Leandro dos Santos foram feitos perante a imprensa

Versão da secretaria de educação: Durante uma entrevista coletiva realizada na manhã de ontem, quarta-feira, 11, o Secretário de Educação de Luís Eduardo Magalhães falou sobre a possível paralisação dos professores da rede municipal de ensino. Leandro dos Santos explicou que não há motivos legais para o movimento, que muitas reivindicações apresentadas pelo sindicato da categoria não têm fundamento jurídico e outras dependem de um estudo de impacto financeiro no orçamento do município.

“A atual gestão se baseia na legislação vigente e nenhum profissional da educação de Luís Eduardo Magalhães deixará de receber o que é de direito”, revelou o titular da pasta.

Leandro dos Santos disse que foi surpreendido pela iniciativa do SINPROLEM e respondeu a vários questionamentos. Perguntado sobre o piso salarial dos professores, Leandro dos Santos enfatizou que o reajuste de 7% concedido pelo governo municipal, retroativo ao mês de janeiro, é superior a reposição estabelecida pelo Ministério da Educação que foi de 6,81% e que o salário base dos professores de Luís Eduardo Magalhães com carga semanal de 20 horas, que é de R$ 2.499,52, ultrapassa o piso nacional estabelecido em R$ 2.455,35.

O secretário explicou ainda os motivos da publicação de uma portaria no final do ano passado, que regulamenta a concessão de licença prêmio para os professores. O secretário explicou que até o início deste mês, foram solicitadas 110 licenças, que uma vez autorizadas, inviabilizariam o sistema de ensino durante o benefício.

“Até agora já concedemos 24 licenças. As outras serão concedidas de uma forma organizada e que não comprometa o desempenho nas salas de aula”, frisou Leandro.

Leandro dos Santos complementou a entrevista comemorando uma grande conquista proporcionada pela atual administração. Após quatro anos os professores contratados voltaram a receber o 13º salário no mês de dezembro.

“Estas são demonstrações claras do respeito e do reconhecimento que o poder público de Luís Eduardo Magalhães tem pelos professores. Não tenham dúvida que muitos benefícios ainda virão para a nossa categoria”, encerrou o secretário.

Fonte: Reportagem de Weslei Santos/Blog do Sigi Vilares
()
  Curta nossa pagína
  Publicidades