Blog do Sigi Vilares - 7 Anos
 

Notícias

04
Jul/18

I Vara Cível de LEM já digitalizou mais de 3.500 processos

A I Vara Cível da Comarca de Luís Eduardo Magalhães, a 953 km de Salvador, digitalizou mais de 3.500 processos físicos no período de recesso judiciário referente ao final de 2017 e início de 2018. O resultado positivo e a oportunidade de virtualizar todos os processos da unidade continuam incentivando os servidores da Comarca.

A Diretoria de Primeiro Grau (DPG), que tem à frente a Servidora Mariana Larangeira, recebeu a visita sexta-feira (29), de Flávio Ferrari, Juiz Titular da I Vara Cível de Luís Eduardo Magalhães, e Saíla Itacarambi, estagiária voluntária da comarca há mais de cinco anos. Também compareceram à reunião os Servidores Christiane Gomes, Assessora do Núcleo de Documentação de Informação (NDI); João Felipe Menezes, Assessor-Chefe da DPG; Olga Alves, Técnica Judiciário; e Aluísio Júnior, Chefe de Serviço.

A visita objetivou apresentar o Projeto I Vara Virtual, que visa a digitalizar todo acervo processual físico da Comarca e firmar parceria com as coordenações das faculdades da cidade para fornecer a estudantes de Direito uma visão prática cartorária.

O cansaço físico de atendimento e o pouco espaço motivaram a concepção do Projeto. “Antes de iniciar a execução escrita do projeto, encontrei o TJBA Virtual e fiquei bastante segura que poderia ter contato com o pessoal, me deixou muito confortável”, destaca Saíla, responsável pelo desenvolvimento do Projeto I Vara Virtual.

A Vara ainda conta com aproximadamente 4 mil processos não digitalizados, que ocupa espaço e gera dificuldade de locomoção no próprio cartório. “A intenção é incluir esses processos na execução desse Projeto para poder zerar o acervo físico da Comarca. Para nossa prática cartorária, é fundamental porque nós vamos conseguir primeiro espaço”, afirma o Magistrado Flávio Ferrari.

Quanto à parceria com as faculdades de Luís Eduardo Magalhães, o Juiz acredita que a prática pode atrair a comunidade jurídica a participar do Projeto. “É importante o acesso ao conhecimento mais prático, além de receber certificado emitido pelo TJBA e pela faculdade que contará como horas para matéria de práticas jurídicas”, salienta.

Inicialmente, o Projeto será apresentado nas salas de aula para cadastro dos interessados. Posteriormente serão oferecidos cursos para treinamento dos voluntários.”Feito esse treinamento, estaremos prontos para executar o projeto”, conclui Saíla.

O projeto TJBA Virtual, que tem como Presidente da Comissão o Desembargador José Olegário Monção Caldas, foi desenvolvido pela DPG. Objetiva, primordialmente, digitalizar todo o acervo de autos existentes nas unidades de 1º Grau.

Fonte:TJ BA
()
  Curta nossa pagína
  Publicidades